AVC – MELHOR PREVENIR DO QUE REMEDIAR

Tempo de leitura: 5 minutos

O que é ACV?

AVC, acidente vascular cerebral, é uma doença das artérias cerebrais, ocasionando obstrução ou rompimento de uma artéria no cérebro e consequente lesão cerebral.

O AVC é uma das principais causas de morte e de sequelas no mundo e a primeira causa de morte no Brasil.

Falar sobre AVC é extremamente importante porque cerca de 90% dos casos poderiam ser evitados.

Quando ocorre o AVC, o atendimento deve ser imediato, em até 3 horas, o que diminui muito os riscos de morte e  sequelas graves.

Tipos de AVC

Há 2 tipos de AVC, sobre os quais falaremos a seguir.

AVC isquêmico

O Acidente vascular isquêmico ou infarto cerebral é responsável por 80% dos casos de AVC.

O AVC se dá em decorrência de uma trombose ou de uma  embolia.

Na trombose há o entupimento de uma artéria no cérebro.

Na embolia, uma placa de gordura,  originária de outra parte do corpo, como do coração, destaca-se  e através da corrente sanguínea chega ao cérebro, ocluindo uma artéria.

Em ambos os casos, há a morte do tecido cerebral irrigado pela artéria comprometida, ocasionando diversos prejuízos.

 AVC hemorrágico

No AVC hemorrágico há o rompimento de uma artéria cerebral, com consequente extravasamento de sangue para o cérebro ( hemorragia intracerebral).

Também pode ocorrer o sangramento entre o cérebro e as membranas das meninges (hemorragia subaracnóidea).

O AVC hemorrágico pode ser ocasionado pela HAS (pressão alta), ou pela ruptura de um ponto frágil de uma artéria, como um aneurisma, por exemplo.

Ataque isquêmico transitório

O ataque isquêmico transitório é uma obstrução temporária de uma artéria cerebral, ocasionando sinais e sintomas do AVC.

Contudo, os sintomas revertem-se espontaneamente, em um curto período de tempo.

Deve servir como sinal de alerta.

Sua causa precisa ser investigada e tratada, antes que o AVC ocorra.

Sintomas de AVC

Os sinais e sintomas do AVC isquêmico e hemorrágico se iniciam de forma súbita e os mais frequentes são:
  • Enfraquecimento, adormecimento ou paralisação da face, braço ou perna de um lado do corpo.
  • Alteração de visão: turvação ou perda da visão, especialmente de um olho; episódio de visão dupla.
  • Dificuldade para falar ou entender o que os outros estão falando.
  • Tontura, desequilíbrio, falta de coordenação no andar ou queda súbita.
  • Dor de cabeça intensa, súbita, podendo apresentar náuseas e vômitos
  • Dificuldade para engolir.

 AVC sequelas

As sequelas estão na dependência de vários fatores, tais como, da extensão da lesão, da área do cérebro acometida, do tratamento realizado, seja o tratamento de emergência, seja o tratamento de reabilitação.

A seguir, falaremos sobre o tratamento de emergência e o tratamento de reabilitação.

AVC tratamento

O AVC é uma emergência médica, o atendimento deve ser o mais rápido possível.

Mesmo que a pessoa não tenha certeza do diagnóstico,  ela deve buscar um hospital imediatamente.

Quanto mais cedo o paciente for atendido, melhor o prognóstico e maiores as chances de sobrevivência.

Um importante avanço no tratamento do acidente vascular cerebral isquêmico foi o desenvolvimento de novas terapias capazes de dissolver o coágulo e restaurar o fluxo sanguíneo no cérebro.

O tratamento é mais eficaz  se realizado em até três horas após o início dos sintomas.

O tratamento da hemorragia cerebral também é mais eficaz quando o paciente tem atendimento nas primeiras horas.

Infelizmente, a maioria dos pacientes não chega ao hospital em tempo de receber essas formas de terapias.

O hospital deve ser preparado para dar todo o suporte para este tipo de emergência, inclusive com laboratório, aparelho de tomografia computadorizada e UTI, além do médico neurologista.

Tratamento de reabilitação

A reabilitação deve começar no próprio hospital, para  restabelecimento mais rápido da  mobilidade, habilidades funcionais e independência.

Orienta-se o início da reabilitação assim que o quadro clínico do paciente se estabiliza.

Em caso de deficit motor, a reabilitação é realizada pelo fisioterapeuta.

Caso haja dificuldades na fala e na deglutição, é necessário o tratamento com a fonoaudióloga.

Também pode ser útil o acompanhamento com um nutricionista, para uma avaliação nutricional mais adequada.

Enfim, é necessário uma equipe multidisciplinar,  para o melhor restabelecimento do paciente.

Em relação à equipe médica, o paciente deve ser acompanhado pelo neurologista, cardiologista e outros especialistas, se necessário.

Como evitar um AVC

A melhor medida contra a doença ainda é prevenção.

Certamente, é muito melhor prevenir do que remediar!

Mas, caso a pessoa tenha tido um episódio de AVC, é fundamental saber que há um maior risco futuro de um novo ataque.

Portanto, os cuidados com a saúde e as medidas preventivas devem aumentar!

Entre os fatores de risco que podem ser evitados, modificados ou tratados, destacam-se:

  • Hipertensão arterial sistêmica
  • Diabetes
  • Tabagismo
  • Consumo de álcool e outras drogas
  • Estresse exagerado
  • Colesterol elevado
  • Doenças cardiovasculares
  • Sedentarismo
  • Doenças hematológicas
  • Ataque isquêmico transitório

AVC prevençãoÉ preciso previnir doenças em todas as épocas da vida.

Cuidar de si mesmo, ter qualidade de vida não dá trabalho.

O que dá trabalho e sofrimento é cuidar de doenças graves e das sequelas das mesmas, sobretudo daquelas que poderíamos evitar.

Cuide-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *