Você sofre com enxaqueca?

Enxaqueca  é uma doença crônica do cérebro, de origem genética e extremamente incapacitante, seja pela dor ou pelos sintomas associados a ela.

A patologia pode ser grave, ocasionando sofrimento, prejuízos na qualidade de vida e faltas ao trabalho.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, 70% das mulheres e 50% dos homens apresentam pelo menos um episódio de dor de cabeça por mês.

A enxaqueca, um tipo de cefaleia, ocorre em  20% das mulheres, 6% dos homens e 4 a 8% das crianças.

São 15% da população brasileira, ou seja,  30 milhões de brasileiros com enxaqueca!

E cerca de 13 milhões de brasileiros apresentam dor de cabeça por pelo menos 15 dias durante o mês, o que é chamado de cefaleia crônica diária.

Este é um dos índices mais altos do mundo!

Infelizmente, grande parte destas pessoas simplesmente não sabem como resolver este problema.

Muitas acham que não existe tratamento, que a única coisa a ser fazer é tomar analgésicos e se acostumar com a dor.

Continue a ler este artigo e descubra como se libertar da frequente dor de cabeça!

O QUE VOCÊ NÃO FAZER PARA PIORAR A ENXAQUECA

Você sabia que o uso excessivo de analgésicos pode agravar a dor de cabeça?

Em geral, as pessoas começam a ter enxaqueca na infância, adolescência ou no início da vida adulta.

Normalmente, são dores  menos frequentes, que melhoram com analgésico comum.

Porém, muitas pessoas com enxaqueca evoluem para dores cada vez mais fortes, frequentes e incapacitantes.

E, consequentemente, há o aumento do uso de analgésicos.

Mas, com o tempo, eles começam a não resolver mais o problema.

E a pessoa passa a tomar vários medicamentos ao dia, sem melhorar a dor…

Sim, o uso excessivo destes remédios pode levar ao agravamento e à cronificação da enxaqueca.

CONHEÇA 2 TIPOS DE CEFALEIA MAIS FREQUENTES.

Os 2 tipos de dor de cabeça muito frequentes são a enxaqueca e a cefaleia tipo tensional.

Neste artigo, nós falaremos sobre:

  • O que é enxaqueca
  • Sintomas da enxaqueca.
  • Enxaqueca com aura.
  • Cefaleia por uso excessivo de analgésicos.
  • Os principais gatilhos que provocam dor.
  • Tratamento correto para enxaqueca.
  • Medidas importantes para melhorar a qualidade de vida da pessoa com enxaqueca.

O QUE É ENXAQUECA?

A enxaqueca ou migrânia é um distúrbio neurológico episódico e crônico, determinado geneticamente, que se manifesta ao longo da vida.

Na enxaqueca ocorrem crises recorrentes de dor, além de outros sintomas.

Esta dor de cabeça possui uma fisiopatologia complexa, envolvendo várias estruturas do sistema nervoso central (córtex cerebral, tronco cerebral, sistema trigeminal, meninges).

Na enxaqueca há uma disfunção cerebral primária que conduz à ativação e sensibilização do sistema trigeminal, ativação do tronco cerebral e cérebro, vasodilatação secundária das artérias cerebrais.

E se você não entendeu nada desta explicação médica, não se preocupe.

O mais importante é perceber que a enxaqueca é uma doença neurológica que precisa ser diagnosticada e tratada, quando necessário.

SINTOMAS DA ENXAQUECA.

A pessoa com enxaqueca sente, geralmente, dor pulsátil ou latejante, de um lado da cabeça e de moderada a forte intensidade.

Pode haver agravamento com atividade física ou movimento, fazendo com que o paciente busque repouso.

A duração da dor é de 4 a 72 horas.

Esta dor pode ser acompanhada de náuseas, vômitos e sensibilidade  à luz, sons e cheiros.

As dores podem ser intensas e incapacitantes.

O QUE É ENXAQUCECA COM AURA?

10 a 15% das pessoas que têm enxaqueca apresentam enxaqueca com aura.

Mas o que é a Aura da enxaqueca?

São sintomas neurológicos resultantes de alterações transitórias da função cortical ou do tronco encefálico.

A aura da enxaqueca se caracteriza por distúrbios sensoriais e/ou motores.

Os distúrbios sensoriais mais comuns são:

  • alterações da visão, como cegueira parcial, turvação visual e visão de pontos luminosos.
  • formigamentos nos braços, lingua, boca.

Os distúrbios motores mais comuns são:

  • paralisia parcial dos membros.
  • dificuldade para falar.

Normalmente, a aura ocorre antes da dor de cabeça, durando 15 a 60 minutos.

EU SEI O QUE UMA PESSOA COM ENXAQUECA SENTE!

Há vários anos comecei a ter dores de cabeça, inicialmente leves e esparsas, que melhoravam com analgésicos comuns.

Meu pai tem enxaqueca. Acompanhei-o, na minha infância, inúmeras vezes, deitado em quarto escuro, com dor forte e vômitos.

Nos dias em que tinha estas crises, passava o dia todo de cama.

Comecei a sentir cefaleia com mais frequência e o  quadro foi piorando com o tempo.

Chegou o momento em que não suportava mais ter dor!

Foi quando comecei a fazer o tratamento preventivo  e ter muito menos dor e mais qualidade de vida, além de lançar mão de outras medidas importantes, sobre as quais falarei mais adiante neste artigo.

CEFALEIA POR USO EXCESSIVO DE ANALGÉSICOS 

A cefaleia por uso excessivo de analgésicos é a presença de dor de cabeça por mais de 15 dias ao mês, em pessoas que fazem o uso excessivo e frequente de analgésicos, durante mais de 3 meses seguidos.

DESCUBRA OS GATILHOS QUE PROVOCAM ENXAQUECA E TENHA UM MAIOR CONTROLE DA DOENÇA!

neurologista Goiânia, neurologista em Goiânia, neurologia, Enxaqueca, cefaleia, cefaleia crônica diária, enxaqueca crônica, dor de cabeça, cefaleia tipo tensional, cefaleia tensional

Na enxaqueca  há uma predisposição genética ao problema.

Por outro lado, sabe-se que diversos fatores atuam como gatilhos, desencadeando a  dor.

Certos alimentos, como leite, chocolate, vinho, gordura saturada, enlatados, queijos amarelos, excesso de cafeína, podem provocar uma crise de enxaqueca.

A insônia, cansaço e jejum prolongado também podem iniciar uma crise.

As mulheres podem apresentar mais dores no período menstrual.

Em minha prática diária, atendendo pessoas com cefaleia há tantos anos, observo que o estresse,  ansiedade e depressão são grandes vilões!

Por isto, é fundamental amenizar ou evitar estes fatores desencadeantes!

BUSQUE UM TRATAMENTO PARA ENXAQUECA.

neurologista Goiânia, neurologista em Goiânia, neurologia, Enxaqueca, dor de cabeça, cefaleia, cefaleia crônica diária, enxaqueca crônica, cefaleia por excesso de analgésicos

Como te revelei, sei o tormento que é ter dor quase diária.

Contudo, já não saio mais de casa  preocupada em não esquecer de levar analgésicos na bolsa…

Quando a pessoa tem dores frequentes ( 2 ou mais crises ao mês), fortes e incapacitantes, está indicado o tratamento profilático ou preventivo.

É o uso diário de medicamentos específicos (não são analgésicos), que atuam no cérebro para tratar corretamente a dor.

A prevenção não é a cura. Ainda não há uma cura definitiva para este problema.

Contudo, o tratamento é considerado bem-sucedido se a frequência, a duração e a intensidade das dores de cabeça são reduzidas consideravelmente.

Além disto, com o tratamento preventivo, é possível melhorar a resposta dos analgésicos e reduzir muito o uso dos mesmos.

O tempo de tratamento profilático ou preventivo.

Tenho inúmeros pacientes que têm uma excelente evolução, ficando praticamente sem dor e podendo retirar a medicação de tratamento depois de um tempo.

De qualquer maneira, mesmo que seja necessário tratar por um período mais prolongado, não se compara a qualidade de vida que tem um indivíduo que trata de forma correta, em relação a quem não trata e simplesmente usa analgésicos em exagero!

Em geral, o tempo de tratamento é de 6 meses a 2 anos.

Não acredite em quem lhe diz, “Acostume com a dor”!

Houve grande avanço no estudo da dor e com o tratamento certo há uma melhora significativa do quadro.

Dor precisa e deve ser tratada.

Dor não tratada pode se tornar crônica.

E, certamente, não é o que você deseja!

Além de buscar um neurologista e fazer o correto tratamento, podemos amenizar a doença através de outras estratégias igualmente importantes.

ESTRATÉGIAS PODEROSAS PARA ADQUIRIR QUALIDADE DE VIDA!

neurologista Goiânia, neurologista em Goiânia, neurologia, Enxaqueca, cefaleia, cefaleia crônica diária, enxaqueca crônica, dor de cabeça, cefaleia tipo tensional, cefaleia tensional

Qualidade de Vida

  • Observe o que gera dor em você e evite estes fatores.
  • Diminua ou retire alimentos e bebidas que provocam dor.
  • Evite longos períodos em jejum.
  • Diminua o excesso de cafeína.
  • Durma bem.
  • Controle a ansiedade e o estresse.
  • Trate a depressão, caso venha a ter este problema.
  • Faça atividade física regular (pelo menos 3 vezes na semana).
  • Busque momentos de lazer e atividades prazerozas!
  • Evite analgésicos mais  do que 2 a 3 vezes na semana.

Você não precisa e não merece ter tanta dor de cabeça.

Invista em sua melhora, bem-estar e qualidade de vida!

Dúvidas? Entre em contato conosco!

    Seu nome (obrigatório)

    Seu e-mail (obrigatório)

    Sua mensagem